segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Ricardo Pinheiro nega apoio e diretoria do VOCEM desiste de sediar competição (Jornal da Segunda)

Uma pena! O torcedor de Assis que gosta de futebol não poderá assistir, pela primeira vez na história, a cidade sediar a Taça São Paulo de futebol júnior. O prefeito Ricardo Pinheiro Santana, do PSDB, alegou “falta de recursos” para não apoiar a iniciativa da diretoria do VOCEM que planejava sediar a primeira etapa da competição, atendendo convite feito pelo presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, em ofício encaminhado ao dirigente mariano Edson de Lima Fiúza. 

Inicialmente, segundo exigências da Federação Paulista de Futebol, a diretoria do VOCEM deveria se responsabilizar pela hospedagem, alimentação e estrutura de lavanderia para 75 pessoas, que corresponde às outras três delegações que disputariam a etapa em Assis, ao lado do próprio VOCEM. Além disso, o município sede deveria oferecer transporte às delegações visitantes do local de hospedagem aos campos de treinamento e jogos. 

Em um primeiro levantamento, a diretoria mariana calculou essas despesas em torno de R$ 150 mil. Esse seria o custo que a Prefeitura Municipal teria para receber o evento, que tem grande repercussão em todo o país, com reportagens diárias em cobertura jornalística feita pelos grandes meios de comunicações, além de transmissão de algumas partidas ou exibição de melhores momentos dos jogos na região. 

Alegando “falta de recursos”, apesar de ter destinado cerca de R$ 500 mil para uma empresa realizar estudos visando alterar o Plano de Carreira do servidor público sem que o mesmo tenha sido sequer colocado em prática por decisão judicial, o prefeito Ricardo Pinheiro disse que o Poder Público não poderia ser parceiro do VOCEM na realização do evento, e chegou a sugerir que as delegações ficassem em um antigo seminário para formação de sacerdotes, acreditando que os custos poderiam reduzir sensivelmente. 

Os diretores do clube mariano entraram em contato com a Federação, que determinou a gravação de imagens do local para definir se a hospedagem poderia ser num local diferente do exigido inicialmente: hotéis de nível três estrelas. Mesmo acreditando que a sugestão que ele próprio deu à diretoria do clube de Assis pudesse ser aprovada, o prefeito Ricardo Pinheiro jogou uma pá de cal no projeto de sediar a Taça São Paulo, afirmando que, mesmo que a Prefeitura tivesse de arcar com cerca de R$ 30 mil, ele não poderia assumir o compromisso. 

Diante da nova negativa, só restou à diretoria encaminhar correspondência à Federação Paulista negando o convite formulado e desejando sucesso na realização do evento que atrai jovens de todo o país e revela futuros talentos no futebol brasileiro.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário: