domingo, 11 de setembro de 2016

VOCEM 1x0 Desportivo Brasil: Caindo em pé!

(Foto: Mauro Lima)
O VOCEM lutou até o fim, mas não conseguiu impedir sua desclassificação nas quartas-de-final do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Embora tenha vencido o Desportivo Brasil em um Tonicão lotado, mantendo assim sua invencibilidade em casa durante todo estadual, o placar de 1x0 não foi suficiente para reverter a vantagem de dois gols construída pelo rival no primeiro encontro. 

Depois de ter um gol legítimo erroneamente anulado no duelo de ida, em Porto Feliz, o clube mariano mais uma vez foi prejudicado pela arbitragem neste domingo, assistindo uma penalidade clara a seu favor ser ignorada ainda no 1º tempo. Mesmo revoltada com o juiz, a torcida bordô e branca (que bateu recorde de público no ano) não deixou de reconhecer os esforços de seus atletas, aplaudindo de pé nas arquibancadas após o apito final.

O jogo:

(Foto: Mauro Lima)
Precisando da vitória, o VOCEM sofreu um duro golpe na preparação para o confronto: durante os treinamentos da semana, o meia-atacante Diego Choque sofreu uma lesão e tornou-se um desfalque importante para o setor ofensivo, Nesse sentido causou estranheza a decisão do técnico Paulo César Santos, o PC, que barrou o centroavante Júlio César como um dos atletas acima dos 23 anos para relacionar Diego Manfio, mas deixou o defensor como opção no banco de reservas. 

No gol o jovem Yuri foi mantido, desbancando novamente o experiente Stive. Com a ausência de Erón, cumprindo suspensão por cartão vermelho, a dupla de zaga foi composta por Alan e Marcos Vinicius, tendo Ítalo e Henrique no apoio pelas laterais, enquanto William figurava como cabeça-de-área. Complementando o meio-campo, operários como Foguinho e Vitor Hugo davam maior liberdade para que o estreante Gilmar Baiano pudesse organizar a criação. Contratado para 2ª fase, o camisa 10 passou um longo período no departamento médico e demonstrou falta de ritmo em sua passagem relâmpago por Assis. Já na frente as esperanças estavam depositadas na velocidade de Dieguinho e no faro de gols do artilheiro Billy.

O problema é que o Esquadrão da Fé encontrou muitas dificuldades no começo da partida, quando o Desportivo Brasil adiantou sua marcação e complicou a saída de bola mariana. O trio de arbitragem também não demorou para irritar os anfitriões com falta de critério em marcações de faltas e impedimentos, favorecendo a cera dos visitantes desde os primeiros minutos. O ápice da situação ocorreu quando o juiz Flávio Rodrigues de Souza ignorou toque de mão claríssimo de um zagueiro do Desportivo dentro da área, levando ao desespero os mais de 5 mil torcedores presentes no Tonicão (talvez o melhor público do estádio em pelo menos duas décadas).

Único atleta a ter defendido o clube nas três temporadas após o retorno vocemista ao profissionalismo, Foguinho foi o grande destaque da etapa inicial. Ostentando a braçadeira de capitão, ele ditou o ritmo dos companheiros, jogando com alma e coração. De seus pés surgiram as melhores oportunidades da equipe, embora o goleiro Renan não tenha sido muito exigido nos primeiros 45 minutos.

Sentindo a necessidade de arriscar um pouco mais na volta do intervalo, a comissão técnica bordô e branca não demorou para trocar William pelo meia-atacante Bruno Ceará. Com os times mais expostos, o duelo se tornou franco, com emoções para ambos os lados. O VOCEM teve duas boas chances de inaugurar o marcador com Billy, além de um tiro livre indireto desperdiçado após a marcação de um recuo para o goleiro.

(Foto: Mauro Lima)
Com o passar do tempo, a pressão aumentava sobre os mandantes e PC decidiu ir para o tudo ou nada com a inclusão dos atacantes Edson Negão e Guilherme Santos nas vagas de Victor Hugo e Gilmar Baiano. A alteração surtiu efeito e aos 33 minutos, após bate e rebate na área, Edson Negão mostrou ter estrela aproveitando rebote para estufar as redes. Festa dos torcedores, que imediatamente se uniram em um só coro nas arquibancadas gritando "Eu acredito"!

Empurrado pela massa, o Esquadrão da Fé seguiu pelejando, encurralando o adversário em seu campo de defesa em busca do gol da classificação. Sentindo a pressão, o Desportivo Brasil apelou para a catimba, utilizando substituições e seguidos pedidos de atendimento médico para gastar o tempo. Tudo com a conivência da arbitragem, que assistiu o goleiro Renan fazer cera durante aos 90 minutos e só teve coragem de puni-lo com cartão amarelo aos 47 minutos do 2º tempo.

O apito final terminou por ser um castigo à uma equipe que se superou desde o início do estadual, driblando a falta de apoio e investimentos na base da garra e da superação dentro e fora de campo. Com uma das quatro melhores campanhas na classificação geral durante as duas primeiras fases do torneio, o VOCEM se destacou com uma administração sóbria e consciente, pautada em uma política de pés no chão. Um exemplo à ser seguido nos próximos anos!

Não por acaso, jogadores, comissão técnica, dirigentes e colaboradores tiveram seus esforços reconhecidos pela torcida ao longo da temporada, recuperando a credibilidade e o prestígio que a camisa mariana sempre possuiu no futebol paulista. Até por isso a certeza de que dessa vez o time caiu em pé. A expectativa agora é que todo esse esforço seja reconhecido em 2017 para que os vocemistas transformem essa queda em apenas mais um passo rumo à tão sonhada volta por cima...

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário: